21 de maio de 2010

Avenida Curitiba: A saga acompanhada pelo blog

Abaixo, reportagem do PR TV de março de 2009, que foi publicada aqui no blog em 13 de abril. Na época se discutia uma solução para os exageros na Av. Curitiba. Era o início de uma série de reuniões e discussões na intenção de amenizar um problema que foi destaque em vários veículos de comunicação em todo estado, até na Gazeta do Povo.
Os moradores do local  e os paiçanduenses em geral, sofriam com a situação. Após reportagem polêmica sobre os abusos cometidos no centro da cidade, a sociedade se mobilizou a começou agir. 
O Conselho de Segurança  lançou uma Carta Repúdio, e a cidade passou a discutir a necessidade de levar para a Câmara de Vereadores algumas propostas,  inclusive de uma Lei Seca para o município. 
As condições eram bem rígidas, ela previa que entre os domingos e as sextas-feiras,  a venda e o consumo de bebidas alcoólicas ficariam proibidos a partir de 23h. Apenas o sábado seria liberado.



Mas a idéia não prosperou.
Depois disso, tivemos uma mudança significativa. A concentração maior na avenida,  mudou de local, indo se instalar nas imediações do recém inaugurado Portal das Águas, logo na entrada da cidade.  Os problemas porém permaneceram os mesmos:  carros com som alto, motos e muita gente dividindo espaço e atrapalhando o trânsito, dificultando até os ônibus adentrarem à rodoviária.   E o pior: A  barulheira importunando os  moradores das proximidades. Flagrantes de consumo de bebidas alcoólicas e outros entorpecentes comuns de se ver, inclusive entre entre menores de idade.

Agora, a partir de hoje, sexta (21) mais uma ação,  na idéia de trazer paz aos moradores de nossa cidade. A polícia, depois de um período de trabalho educativo e informação, irá multar os motoristas dos carros, que permaneceram parados na Avenida Curitiba no horário considerado de maior teor "bagunssístico", das dez da noite às seis da manhã.

- Do que isso valerá? Perguntam as pobres almas sedentas de diversão;  - tão escassas em nossa cidade! Concordo. 

Explicando: Não existe no teor desta recomendação NENHUMA forma de perseguição, ou direcionamento à nenhuma pessoa ou estabelecimento comercial. A lei foi criada em análise de fatos e estudo de possibilidades entre sociedade, polícia, entidades, administração municiapal, igrejas, moradores e comerciantes. Se ela terá sucesso, só a prática dirá. Mas é uma atitude que precisava ser tomada, com risco do local se transformar em terra de ninguém, ou uma "Faixa de Gaza", como bem definiu minha parceira Nadir Alves. 

Pelos dados da PM, a maioria dos veículos que trafegam pela Av. Curitiba neste horário, e com sol alto, fazendo estardalhaço,  NÃO são de Paiçandu! Segundo o Sargento Felipe, em um dia recente de abordagens,  de 31 veículos investigados, 25 eram de outras cidades. Qual a principal intenção destes forasteiros? - Contribuir com o comércio local? Com a ordem e os bons costumes? Com o respeito à nossos munícipes? 
 - Acho que Não.  
Ainda seguindo o raciocínio do Sargento Felipe, por ser "de fora",  eles ficam mais confiantes na impunidade.  Pois ninguém os conhece para dedurar alguma situação. Raramente se tem problemas com moradores que residem aqui. 
Vamos aguardar e torcer para  que a medida dê certo. A cidade agradece.

20 comentários:

julio cesar disse...

Proibir o estacionamento de carros na avenida para evitar o aglomerado de pessoas e o som alto é como impedir o uso de "coldre" com o intuito de desarmar os bandidos. O bom cidadão que vai ali se divertir, e não fazer bagunça como diz o "editor", não poderá estacionar o seu carro naquele local, devendo, se quiser, fazê-lo em rua ao lado, totalmente desprovida de iluminação e longe do "olhar" de seu dono, sob pena de ser multado por estacionar em rua publica. Provavelmente veremos o nascimento do mal dos "flanelinhas" logo, logo. As pessoas que desrespeitam o trânsito ou as leis que tratam das contravenções, entre elas a da emissão de som além dos limites previstos para o horário, os alcoolizados que estão "a pé" ou dirigindo,os que atrapalham de maneira dolosa o transito, podem, e pelo dito na matéria, já sofrem ação da polícia militar (vide as abordagens citadas). O uso e tráfico de entopercentes é crime e, se a policia sabe, deve combatê-los, não precisando lei desse tipo para agir, e não será proibindo o estacionamento que se conseguira evitar esses problemas. Quem quiser continuar com som alto o fará com o carro em movimento, passando ao lado de um policial que estará multando um carro, de uma familia de bem, estacionado na avenida; as pessoas continuarão na rua, agora com maior espaço, mas continuarão na rua da mesma forma, pois elas, pessoas, não estacionam. Qualquer área só se transforma em terra de ninguem, ou em uma faixa de gaza, se os orgaos publicos não aplicarem as leis. Problemas como esses existem em todas as cidades, inclusive em Maringá, mas, são combatidos com as leis já existentes, que são boas e suficientes, sem tirar ou ofender direitos de ninguem. Em Maringá foram aplicadas e os problemas foram resolvidos (Av. Tiradentes, p.ex.) sem a idiotice de penalisar todo mundo pelos erros ou excessos cometidos por alguns. A citação sobre a origem dos veiculos, demonstra com clareza um dos maiores males de paiçandu. O provincialismo. Deve ser uma das poucas cidades que entendem que, quem vem de fora, é "estorvo", não contribui com o comercio (santa ignorancia), desrespeitam a ordem, os bons costumes e os munícipes, como se todos os "forasteiros" fossem "bandidos" invadindo uma "terra de santos e inocentes". Eu, p.ex.:, moro a um ano em Paiçandu, era de Maringá e meu carro tem placas de lá. Vou à lanchonete, de vez em quando, com minha esposa e meu filho pequeno, comer frango frito, batatinhas e tomar refrigerante, devo ser um dos "forasteiros bagunceiros" citados na matéria. Tudo que Paiçandu precisa é atrair gente, que atrai comercio, que atrai industria, que atrai progresso. Não existe progresso em uma sociedade que se fecha e não aceita ideias novas, pessoas novas, coisas novas. Não consigo aceitar que tentem me impedir de fazer algo legal, que criem obstáculos ao exercício de um direito meu de freguentar ambientes que funcionam com autorização municipal. Gostaria de saber quem dará segurança ao meu veículo que ficará estacionado, muito provavelmente umas duas ou tres quadras para o interior, longe das pessoas, em local escuro, em uma cidade que, sabemos, a segurança é um dos maiores problemas (a polícia sabe a quantidade de assaltos e roubos que acontecem diariamente em nosso município). O meu receio é que, se a "carruagem andar no mesmo ritmo", ao não se conseguir coibir os excessos com a malfadada lei, resolverem "exterminar" os freguentadores daquele local, porque aí, é lógico, o problema seria resolvido. Sem gente, sem bagunça. Sem comércio. Sem nada. Somente a escuridão tão procurada pelos desprovidos de luz própria.

Leidy Anne disse...

Também concordo com Júlio César,é mesmo irritante aqueles sons estridentes e enervantes,etc,etc,etc.Mas este tipo de proibição é tão tosca quando muitas outras que já tivemos aqui e acolá.Que engraçado pra quem por exemplo reside nesta avenida,se fizerem um churrasquinho em casa(exemplo),os convidados terão de estacionar nas ruas paralelas.Legal!E na abordagem,25 veículos eram de fora????Toda vez que passo a noite naquele inferninho,poucas placas são de fora além da minha(e olha q tenho este hábito constante de ficar olhando de onde é o veículo);Já vi carros de Curitiba,Paranavaí e outros estados por aqui,isto não significa que vieram de lá,aqui para a balada gentem.Acho que neste caso aí tem muitas divergências,sou totalmente contra todo e qualquer tipo de zoeira e estardalhaço nas ruas;mas em uma cidade que nem opções de "saúde,cidadania e melhor educação" oferecem para sua população,querer "melhorar a segurança" é de fazer rir.Sabemos que a nossa falta de segurança hoje em dia está mais ligada as drogas(nóias afanadores de tudo o que temos no nosso quintal e/ou residência) do que aos paspalhos sem lugar pra se 'divertir'.E pensar que este é um ano eleitoral...

Karlynhos disse...

Confesso q concordo com os coments, essa nova "regrinha" eh risoria, Paiçandu eh o unico lugar q eu conheço onde se inventão leis pq as leis q funcionam em todas outras cidades nao funcionam aqui, talvez se as pessoas tivessem mais opção de esporte, cultura e lazer di verdade não precisariam ficar na rua ouvindo som alto e enchendo a cara, a cidade nao tem teatro, cinema, clube descente, boate, bar (nao boteco)embora o prefeito nao va abrir uma boate, mas eh tanta lei e proibição, q fica ateh dificil investir em algo q nao seja igreja e cachorrão,ateh as festas tradicionais da cidade ja se estinguiram, soh sobrou som automotivo( q eu axo a maior falta de cultura)daqui a pouco o aniversario da cidade vai ser com som automotivo na trombelli, a festa do peixe tbm, e o rodeio tbm..
resumindo: falta de opção da nisso. Quem tem meio de transporte vai pra fora, quem nao tem fica no centro bebendo, nao tem cachorro caça com gato, do jeito q vai paiçandu vai se tornar uma cidade de ditadura e nao democratica.

Anônimo disse...

AMEI, AOREI AS MEDIDAS TOMADAS PELO LEGISLATIVO E EXECUTIVO, JÁ QUE O DIÁLOGO NÃO FUNCIONOU, DENTRE TAANTAS OUTRAS TENTATIVAS, TEM QUE PROIBIR MESMO, AFINAL, QUEM QUER VISITAR PAIÇANDU E AQUI USUFRUIEIR DO COMÉRCIO,NÃO PRECISA SER À NOITE,NEM DE SEXTA-FEIRA ,TAMPOUCO COM BADERNAS TIRANDO O SOSSEGO DE PESSOAS QUE QUEREM APENAS, DEPOIS DE UM LONGO DIA DE TRABALHO DORMIR EM PAZ.
CADA UM NO SEU QUADRADO,COM DIREITO RESPEITADO!!!!!!!!

julio cesar disse...

Pelo nivel do eleitor mede-se o nivel do eleito. Nâo à toa temos vereadores que elaboram leis com o objetivo de "intimidar".

Do site do Rigon:

"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei.

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."

Martin Niemöller, 1933

Caros Paiçanduenses, não abram mão de seus direitos. Não deixemos que impere a ignorancia, a arbitrariedade e a ditadura. Nao podemos concordar que Paiçandu continue sendo a cidade do "não". Lutemos pelas liberdades e pela aplicação correta das leis. Não deixemos que semiditadores paroquianos nos imponham suas "verdades" e nos usem como válvula de escape para suas frustrações. Temos que exigir que os orgaos policiais ajam no sentido de coibir os comportamentos ilegais ou imorais de alguns, mas não podemos aceitar que nos obriguem a abaixar a cabeça e dizer "amem" ou "sim senhor" aos que se julgam donos da cidade, no caso, "donos da avenida" e que decidem quem pode, em que dia e em que horas, estacionar no local que pensam ser "deles". Hoje proibem na av. curitiba, amanhã nas ruas proximas, depois nos proibirao de andar de carro, depois...........

Anônimo disse...

YES, NÓS TEMOS UMA LEI AGORA!
METE A CANETA. DIVERSÃO, TODO MUNDO TEM DIREITO.
FAZER FARRA TIRANDO O DIREITO DO OUTRO JÁ CONSIDERA BADERNA!
TEM QUE IMPOR LIMITES.
O JULIO CESAR NÃO SENTE NA PELE QUEM MORA PERTO DA AV.
E CURTE A BAGUNÇA QUERENDO DESCANÇAR!
QUEREM FAZER BADERNA, VÃO EM FRENTE A CASA DELE!

Leandro da Silva Oliveira disse...

Se fosse para montar um Telejornal, a escalada seria esta:

Solta ai a vinheta... gravando:

Na hora certa: Policiais multam motoristas na principal avenida da cidade.

Na hora errada: Motoristas reclamam, e o jeito e desenbolsar a grana...

E O que dizem a população // E a voz do especialista no assunto.

Esta edição está no ar!

eliza disse...

Caro Julio César, porque vc não volta p/ maringá, já que lá é tão melhor.... vc diz que aqui é o único lugar com essa proibição ... mas e a CATEDRAL DE MGÁ??? tem essa mesma lei proibindo alguns horários e dias....
Não digo que vc faça parte da bagunça, mas se morasse na av. curitiba, saberia que não tem como ficar tranquilo nos finais de semana, e muitas pessoas que moram nessa avenida já são de idade, e não venha me falar que os incomodados que se mudem não.... Cada um conseguiu sua casa, seu patrimonio com mto suor, e não vão se mudar por causa de um bando de desocupados que acham q isso se chama diversão....

Anônimo disse...

É JULIO CESAR,MUDA O DISCO,SEUS COMENTÁRIOS NÃO ESTÃO AGRADANDO, TALVEZ FALTA UM POUQUINHO DE COERência!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

ELIZA,PARABÉNS!SEU ARGUMENTO TEM FUNDAMENTO,QUEM NÃO GOSTOU DAS MEDIDAS TOMADAS EM RELAÇÃO A AV. CURITIBA,GOSTA DE BADERNA,POiS ENTÃO VÃO PARA A BEIRA DA RODOVIA E FIQUEM LÁ,BEBENDO E BADERNANDO!!!!

Anônimo disse...

Sr. anonimo das 15.45, não escrevo para te agradar. Alias, ainda bem que nao lhe agrado, me preocuparia se agradasse alguem que pense como voce. Sr. Elisa, A igreja em Maringá, vem tentando, a tempos, fechar aquele estacionamento (que não é via publica) sob o argumento que pertence à ela. Não está conseguindo. O Forum em Maringá tentou limitar o estacionamento em frente ao seu prédio aos advogados, foi obrigado a recuar. Os estacionamentos exclusivos em frente a farmacias etc, foram proibidos... tudo isso não porque a prefeitura quiz, mas sim, porque a lei federal proibe essa limitação. O direito de ir e vir e de utilizar as vias publicas pertence a todos. Não se pode proibir o estacionamento de veiculos por motivos tao pueris como o apresentado (nao prejudicar o sono de algumas familias) mesmo porque JA EXISTE LEI que proibe e pune pessoas que provocam sons acima de um certo limite em horarios determinados. Em verdade, me parece, como muitos dizem, que essa proibição tem interesses muito mais economicos que qualquer outro. O que afirmo, sempre, é que não podemos abrir mão de um direito. Os governantes se inebriam com o pseudo poder que teem e, se a sociedade baixar a guarda, vao impondo suas vontades e de seus financiadores sem qualquer limite. Tenho certeza que os moradores da Av. Curitiba tem direito ao descanso. Para isso exijam a aplicaçao da lei. Se alguem fizer barulho acima do permitido por lei, a partir das 22:00 horas, exija que a policia aplique a lei, multando e, se for o caso, apreendendo o veículo. Simples assim. A lei já existe. Se a policia não for capaz de se fazer aplicar uma lei federal, muito mais incapaz será de aplicar lei municipal desprovida de fundamentação legal. Quanto ao direito de morar onde quisermos, é uma afirmação verdadeira. NO entanto, tanto em Maringa, como em Paiçandu, como em qualquer lugar, o normal é que as residencias se afastem cada vez mais das vias ou locais comerciais. O código de postura do municipio preve áres comerciais, industriais e residenciais, nessas é proibido o exercicio de atividades comerciais ou de serviços, exatamente para coibir esse tipo de problema que está ocorrendo na av. curitiba. Se eu resolver morar na av. curitiba (essa é uma decisão pessoal), tenho que ter a consciencia que vou ter que me sujeitar a conviver com os problemas que uma avenida de carater comercial, que tem lanchonetes e bares instalados, todos com autorização da prefeitura.
Julio Cesar

Anônimo disse...

SE TIVER ALGUEM INTERESSADO EU TOPO EM NONTAR UM BAR COM ESTACIONAMENTO COBERTO E TUDO NA ESTRADINHA QUE VAI PRO AEROPORTO, AI RESOLVEMOS O PROBLEMA, OS JOVENS QUEREM BEBER E OUVIR MUSICA ALTA, NÃO É, ENTÃO, PRA BEBER E OUVIR SOM ALTO NO LUGAR DESERTO É O MELHOR LUGAR,ATÉ PORQUE PRA ENCHE A CARA QUALQUER LUGAR SERVE, É IGUAL CERVEJA DEPOIS DA PRIMEIRA TODAS SÃO IGUAIS, SE ALGUEM TIVER INTERESSE ENTRA NO BLOG E DEIXA RECADO QUE EU ENTRO EM CONTATO, SE O QUE OS JOVENS QUERERM É UM LUGAR PRA FARREAR ENTÃO VAMOS CONSTRUIR UM

julio cesar disse...

Na ultima sexta feira quase foi colhido o primeiro fruto da Lei do Valdir do PT e sancionada pelo prefeito Vladao. Um morador, armado, inconformado com um motorista que estacionou um veiculo em frente sua casa, procurou o dono de uma lanchonete e exigiu que ele retirasse o veiculo daquele local. Evidente que o dono do estabelecimento nada podia fazer, pois sequer sabia de quem era o veículo. Ameaçado de morte, com uma arma apontada para seu corpo, teve a sorte de aparecer policiais que impediram o ato tresloucado daquele cidadão. Essa situação estava desenhada. O estacionamento nas ruas proximas incomodarão muito mais que o estacionamento na avenida. Outros eventos ruins ocorrerão, até que algo muito grave ocorra e faça as autoridades repensarem a arbitrariedade com que estao agindo. Uma pena que a ignorancia e a tentativa de demonstrar poder tenha levado varias pessoas a esse conflito.

Ministério de Musica Aliança disse...

Primeiramente gostaria de entender o pq dessa lei? Será q foi criada mesmo para favorecer quem mora nessa via ou teve outro intuito? Paiçandu como varios blogueiros ja disseram tem uma grande necessidade de estrutura para recreação, passa-tempo. Mas se analizarmos isso foi um fruto plantado a muito tempo, pois não é de hj q av. Curitiba tem esse movimento nas noites do final de semana e não essa lei ridicula que criaram que vai sanar o problema. A comunidade em si tem a necessidade de se confraternizar, o problema que a cultura com o passar dos tempos mudou e hj não podemos mais esperar q os "jovens" sejam como era no "nosso" tempo.

Vereador Valdir do pt disse...

Sr. Julio Cesar a LEI não é de minha autoria e sim do Executivo que foi debatido com vários seguimento da sociedade civil organizado e moradores da região Central da cidade e ainda informo que a mesma foi aprovada por unanimidade dos Vereadores e sancionada pelo Executivo que elaborou.
Quando se faz uma afirmação é preciso primeiro verificar se está correta para não fazer afirmação leviana

Anônimo disse...

toma juliao. não sabe das coisas fala besteira.

Anônimo disse...

E Julião vc não da uma dentro,

Anônimo disse...

E Julião escreve o que qué, le o que não se qué.bem feituuuuu.kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

é isso que dá escrever,sem pensar!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

É ISSO JULIO CESAR,ESCREVE SEM SABER,LEVA FEEEEEERRRO!!!!!