" Não é justo que podemos sentar e assistir o noticiário da noite no conforto de nossas salas, e sentir pena daqueles que sofrem por causa de uma tempestade, um terremoto ou uma enchente, e simplesmente sentir pena dessas pessoas, e então mudamos de canal pra assistir uma novela. É justo passar por um sem-teto e não lhe darmos nada com a desculpa de que ele irá gastar tudo com bebida ou cigarros ou manda-lo levantar e arrumar um emprego? Quem somos nós para julgar o alcoólatra ou a prostituta, o viciado ou o criminoso como se fôssemos melhores que eles?"

Fragmento do ensaio: A justiça é cega...mas a injustiça não, da Rosinéia Diana Balbino, nossa amiga Néia, que está reunindo suas idéias no blog:  Néia - Escafandro e Borboleta.


One Comment

Anônimo disse...

cada um no seu quadrado.
todos sabem o que é certo e errado, a escolha é dele, e a consequencia da escolha também.

Tecnologia do Blogger.